Portugees

Ficha Informativa em Português

Projeto ‘Água Limpa para Moçambique’

O projeto de origem Frísia chamado ‘Agua limpa para Moçambique’ desenvolve desde 2012 o saneamento público em quatro cidades Moçambicanas, e com sucesso. Por sequência hoje em dia mais de 75.000 crianças podem lavar as mãos depois de ir à casa de banho. O projeto está sendo ampliado para o desenvolvimento de saneamento doméstico.

Waterkraan op schoolNa província de Friesland bebemos água da torneira, vamos à casa de banho e depois lavamos sempre as nossas mãos. Uma escola primária sem casas de banhos é impensável para nós. Em Moçambique as crianças ainda muitas vezes têm que fazer as necessidades num canto do pátio. Lavar as mãos ou beber um pouco de água não é possível, simplesmente porque não há água potável disponível.

O projeto ‘Água limpa para Moçambique’ está desenvolvendo o saneamento público nas cidades de Xai-Xai, Chokwe, Inhambane e Maxixe desde 2010.

Graças a este projeto foram instaladas sanitas em todas as 65 escolas primárias. Devido ao qual mais de 75.000 crianças podem agora lavar as mãos depois de ir à casa de banho.

Transferir conhecimento tem efeito

Um aspeto importante do projeto é a transmissão de conhecimento. Na província de Friesland existe muita experiência com sistemas de esgotos, recolha e tratamento de resíduos sólidos e de sistemas de cooperação com a população. Todos estes elementos são também essenciais para realizar um sistema de saneamento adequado em Moçambique. A província Friesland coopera com quatro municípios em Moçambique e ajuda a desenvolver sistemas municipais efetivos. Com este conhecimento os municípios podem desenvolver de maneira sustentável a saúde pública nas suas áreas. Nos últimos dois anos cada município instaurou um departamento municipal de saneamento.Training in Mozambique

Os municípios em Moçambique estão contentes

Os governos municipais dos quatro municípios envolvidos no projeto estão conscientes de quão importante é a existência de saneamento e de recolha de resíduos sólidos. Devido ao melhoramento da recolha e tratamento de resíduos sólidos, as ruas encontram-se mais limpas. O saneamento nas escolas faz com que hajam menos crianças doentes. Por isso os municípios estão muitos contentes com o projeto Frísia ‘Água limpa para Moçambique’.

Oito acordos para um mundo melhor

No ano 2000 os chefes de governo de 189 países chegaram a um acordo comum: antes de 2015 a pobreza, doença e fome têm que estar seriamente reduzidos.  Este acordo foi traduzido em oito objetivos concretos: os golos do milénio.

Golo do milénio 7: água potável segura

Millenium goal 7Suficiente água potável forma a base de uma boa saúde. Cerca de mil milhões de pessoas no mundo não têm acesso a água potável suficiente. Isto provoca problemas de saúde bastante graves, como por exemplo  desidratação e infecções.

Também ainda existem milhões de crianças sem acesso a provisões sanitárias. O golo de milénio estabelecido foi de diminuir o número de pessoas sem acesso a água potável segura e provisões sanitárias em 2015 até metade do número de pessoas sem acesso a provisões de água e saneamento em 1990.

Água potável em combinação com saneamento e informação sobre higiene, formam um grande passo em direção ao melhoramento da saúde pública.O ciclo da áqua

O ciclo da água

Também no futuro terá que existir água potável sustentável. A qualidade do meio ambiente é essencial para manter o ciclo de água limpo. Resíduos sólidos poluem a água subterrânea. Isto forma um problema mundial. Não só para Moçambique mas também para Friesland. Por isso o projeto não constrói somente sanitas mas também desenvolve meios para recolher e aproveitar resíduos sólidos.

XipotiXipoti

Além das atividades de saneamento também foi desenvolvido uma sanita para uso doméstico. Muitas pessoas ainda fazem as necessidades num buraco no quintal ou no jardim da sua casa. O Xipoti serve como uma alternativa atraente para estas pessoas poderem fazer as suas necessidades de forma confortável, limpa e higiénica.

Um projeto Frísia

‘Água limpa para Moçambique’ é um projeto Frísia: as autoridades provinciais, a direção de gestão regional de água, a empresa de água potável Vitens e quase todos os municípios Frísios participam. Além disso estão envolvidos outras entidades como por exemplo a empresa de recolha e regeneração de resíduos sólidos Omrin e a Escola Superior de Leeuwarden (NHL). O ministério de cooperação internacional também contribui.

Três anos de prolongamento

O projeto está a correr bem. A pedido do ministério de cooperação internacional o projeto foi prolongado com mais três anos e será expandido sobre mais cinco municípios em Moçambique (Chimoio, Gondola, Manica, Moatize en Tete). Em todos estes municípios as áreas de trabalho serão a construção de casas de banho nas escolas, ajudar os municípios a instaurar um departamento de saneamento e melhorar o saneamento doméstico.

Você pode ajudar

O projeto já faz muito. Mas para algumas coisas falta tempo, conhecimento e dinheiro.  Por exemplo o fato que as excreções sanitárias ainda são bombeadas com um camião-cisterna e despejadas algures sem qualquer processamento. Também os resíduos sólidos na maioria das vezes ainda são depositados sem qualquer forma de regeneração.  Aspetos que têm ainda que progredir. Para isso é necessário dinheiro e conhecimento.

Se deseja contribuir dinheiro para o projeto ‘Água limpa para Moçambique’ pode transferir o montante que deseja doar para a conta bancária do projeto com úmero IBAN: NL73NWAB0636752100 do banco Nederlandse Waterschapsbank (NWB) BIC: NWABNL2G. mencionando: contribuição Água Limpa.

Tem uma boa ideia ou desenvolveu algo que poderá contribuir para o desenvolvimento do bom saneamento em Moçambique? Envie uma mensagem ou entre em contato com um funcionário do projeto.

Notícias

Se deseja receber regularmente notícias sobre o projeto, clique aqui.